MÉTODOS DE FIXAÇÃO

1. Biopsias

A amostra deve ser fixada em formol a 10%, logo após a obtenção. Nunca o material deverá ser enviado em soro fisiológico. O volume ideal de formol para tecido é cerca de 10 vezes mais que o volume do tecido a ser fixado.

Cuidados específicos para alguns tipos de biopsia:
- Medula óssea: deverá ser enviada em formol tamponado ou, preferencialmente, em Bouin. Enviar informação clínica o mais completa possível, nomeadamente dados relativos ao hemograma e mielograma.
- Endométrio: recomenda-se não utilizar gaze na colheita da amostra e sua posterior transferência para o frasco pois a gaze retém partes do endométrio. O mesmo se aplica à curetagem endocervical. Devem-se incluir na requisição informações sobre a idade, data da última menstruação e uso de terapêutica hormonal.
- Fígado: deverá ser enviada em formol. Enviar informação clínica o mais completa possível, nomeadamente os dados clínicos e analíticos (por exemplo, relativos a serologia para hepatites).

2. Peças Cirúrgicas

A peça deverá ser fixada em formol a 10%, logo após sua obtenção. Nunca o material deverá ser enviado em soro fisiológico. O volume ideal de formol para tecido é cerca de 10 vezes maior que o volume do tecido a ser fixado. No entanto, caso não seja possível quando a peça for demasiado grande, enviar a peça coberta por formol e fazer o seu envio para o laboratório o mais rápido possível, de forma a minimizar os efeitos da autólise.

3. Citologia Ginecológica

Citologia convencional:

O material colhido deve ser espalhado sobre a lâmina de forma regular, procurando executar um esfregaço o mais fino e homogéneo possível. O movimento deve ser delicado, firme e num só sentido, evitando movimentos circulares.

A fixação deve ser imediata após colheita do material, de forma a evitar artefactos de secagem, que dificultam ou impedem a formulação de diagnóstico. Utilizar citospray, a 15cm de distância.

Citologia em meio líquido:

Após colheita, a escova deve ser rapidamente mergulhada no frasco contendo o meio líquido fixante. Deve agitar vigorosamente a escova cerca de 10 vezes.


4. Citologia não ginecológica

Inclui exame de líquidos, secreções e citologia aspirativa por agulha fina.

Fixação:
- Líquidos (ascítico, pleural, pericáridico ou produto de lavagens): O material deve ser colocado em frascos hermeticamente fechados, devidamente rotulados, com volume igual de álcool a 50% (1:1). NOTA: Em circunstância alguma, o material deve ser enviado ao laboratório em seringas uma vez que, nestas condições, este material extravasa, pondo em perigo a sanidade de quem o transporta e posteriormente a do técnico que o manipula no laboratório.

- Expectoração: Idealmente, devem ser enviadas três amostras obtidas em três dias consecutivos, de expetoração profunda, colhida de manhã para frasco de boca larga contendo álcool a 50% (cerca de 1/5 do volume do frasco).

- Urina: Colheita feita a qualquer hora do dia, mas com a indicação de permanência de 2 horas sem urinar antes de efectuar a colheita. O material, colocado num frasco, deve ser imediatamente fixado após a colheita, com partes iguais de álcool a 50%.

- Citologia aspirativa por agulha fina: Após elaboração dos esfregaços, as lâminas devem ser secas ao ar (duas lâminas) e fixadas em álcool a 96% (quatro lâminas).
Caso as lâminas citológicas sejam enviadas em álcool, os tubos devem ser bem fechados e enviados dentro de pequenos sacos plásticos para evitar vazamentos.